As opiniões emitidas neste blog, salvo aquelas que correspondem a citações, são de responsabilidade do autor do blog, em nada refletindo a opinião de instituições a que o autor do blog eventualmente pertença. Nossos links são verificados permanentemente e são considerados isentos de vírus. As imagens deste blog podem ser usadas livremente, desde que a fonte seja citada: http://ramonlamar.blogspot.com

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Homenagem ao Ângelo Machado

Acabo de receber do cunhado Alexandre um e-mail relatando a homenagem feita pela CEMIG ao meu querido mestre Ângelo Machado, na forma de uma das páginas do calendário 2011.


Fui aluno do Ângelo no curso de medicina, na disciplina Neuroanatomia. O livro-texto, de sua autoria,  é um best-seller dos cursos de graduação da área biomédica em todo o país. 
Formado em medicina, o Dr. Ângelo Machado (conforme relatava para nós alunos) pouco atuou como médico. Corria já em seu sangue e nas suas sinapses a extrema capacidade como pesquisador. Começou trabalhando com a glândula pineal em um episódio que nos relatou de forma muito cômica (aliás, um artista também no teatro, sendo uma das cabeças pensantes do Show Medicina UFMG). Contou-nos ele, mais ou menos assim: "Eu era monitor de anatomia e vivia enchendo o saco de meu orientador. Perguntava o tempo todo o quê eu poderia pesquisar. Um dia ele apelou comigo e me mandou estudar a glândula pineal do tatu. Lá fui eu todo feliz procurando tatus para estudar a pineal. Foi então que descobri que o tatu não tinha glândula pineal. Descoberta mesmo, ninguém sabia disso. E aprendi muito sobre a pineal pois é bem mais difícil provar que alguma coisa não existe." Tornou-se o Ângelo, então, uma das maiores autoridades do mundo em glândula pineal. 
Casou-se com a também pesquisadora Conceição Machado (infelizmente já falecida). Conforme o Ângelo, a Conceição era estagiária no mesmo laboratório, tendo sido a "maior descoberta feita em suas pesquisas". Nem consigo imaginar o dia a dia dos dois. Gênios da pesquisa, disciplinados nas obrigações e discretos no trato com as pessoas, dois grandes cientistas brasileiros sob o mesmo teto. Com a Conceição tive pouca experiência como aluno (apenas algumas aulas durante a graduação, na disciplina de Embriologia Médica) e algumas palestras em congressos. Mas sempre tive a atenção e o auxílio dela quando precisei. Conceição participou da minha banca de seleção ao mestrado. Temida por todos os candidatos, eu via nela uma figura amiga, mas sabia que ela não me pouparia de suas inquisições fortes durante a banca (e não poupou mesmo). Infelizmente o câncer a afastou das aulas e não tive a felicidade de tê-la como professora na disciplina Biologia Celular.  Não sei se foi coincidência, a CEMIG ter reservado o mês de Dezembro para a homenagem ao Ângelo, nas entrelinhas (ali no dia 8) uma citação à Conceição.
Voltando ao Ângelo, o mesmo era um exímio pesquisador de libélulas, seu hobby. Em casa guardava (ou ainda guarda) uma coleção de 30.000 libélulas. Pesquisadores do exterior vinham a BH para estudar os seus espécimes. Até perdido na selva amazônica o Ângelo ficou ao perseguir uma libélula e perder os óculos num tombo.
Aposentou-se da Neuroanatomia depois de 30 anos de dedicação ao Departamento de Morfologia da UFMG e ingressou no Departamento de Zoologia para lecionar sobre os insetos. Uma vez encontrei-o no elevador. Engraçado como sempre ele me contou que teria que dar uma aulas sobre Protistas, para substituir um professor que estava de licença. Nas mãos dois grossos volumes sobre Protistas e a reclamação em tom de gozação: "Agora vou ter que estudar esses tais protistas para dar a aula. Na minha época isso nem existia. Olha só, Protistas!"
Criador da Fundação Biodiversitas, editor da Revista Ciência Hoje e dezenas de outras atribuições. Ângelo Machado é merecedor de todas as homenagens que possa receber. Obrigado à CEMIG por jogar mais luz sobre essa carreira que, no meu entender, é a mais luminosa que já conheci.
Texto: Ramon Lamar de Oliveira Junior

4 comentários:

  1. Olá, Ramon!
    E que privilégio o seu ter sido orientando do Ângelo Machado!
    Ele merece mesmo todas as homenagens! H´aum tempo atrás também fiz uma, mas ressaltando o trabalho dele na divulgação científica. Se puder, dê uma passada no meu blog: http://ciencianamidia.wordpress.com/2008/11/10/chapeuzinho-vermelho-e-o-lobo-guara/
    Um abraço e excelente 2011,
    Tatiana

    ResponderExcluir
  2. Tatiana,
    não fui orientando do Ângelo.
    Abração.

    ResponderExcluir
  3. Também tive a honra de ser aluna de Ângelo Machado. Experimentei do seu amor pela entomologia... é contagiante. Lembro-me de ZOO 2 como uma das melhores disciplinas da Biologia. Foi uma dupla de peso: Ângelo Machado e MArio De Maria. Devotados ao ensino e pesquisa...
    Mas o Ângelo é incomparável! Apenas cuspe, piadas inteligentíssimas, um bom humor peculiar.
    Ele foi também nosso paraninfo Ramon!!!! (Oh orgulho!!!!!) não acreditamos quando ele aceitou. Tenho uma gravação da colação de grau com o discurso dele, foi incrível! Meus pais, que nada sabiam dele e de sua história se tornaram fãs devotados depois desse dia.
    eh, toda e qualquer homenagem à esse ícone é mais que merecida.
    Somos biólogos de sorte...

    ResponderExcluir

Clique em "Participar deste site" e siga o blog para sempre receber informações sobre atualizações. O seu comentário será publicado após ser lido pelo administrador do blog.