As opiniões emitidas neste blog, salvo aquelas que correspondem a citações, são de responsabilidade do autor do blog, em nada refletindo a opinião de instituições a que o autor do blog eventualmente pertença. Nossos links são verificados permanentemente e são considerados isentos de vírus. As imagens deste blog podem ser usadas livremente, desde que a fonte seja citada: http://ramonlamar.blogspot.com

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Conhecendo o Parque da Cascata (2)

3) Briófitas: hepáticas - As hepáticas são plantas muito rudimentares, parentes dos musgos (também pertencem ao grupo das briófitas). São encontradas apenas em locais bastante úmidos no interior das matas ou, preferencialmente, junto a cursos d'água. Apresentam-se como plantas prostradas junto ao solo e sempre ramificadas de maneira dicotômica (dividindo-se em dois). Aliás, a dicotomia nos órgãos das plantas costuma ser um sinal de primitividade da espécie em estudo. As hepáticas das imagens abaixo foram fotografadas no alto da cascata, no córrego, em um local muito bom para escorregar.

Hepáticas no córrego, bem perto da cascata. Parque da Cascata, junho/2008.
4) Pteridófitas: Anemia - A Anemia é uma pteridófita muito interessante. A maioria das pessoas conhece apenas os seus parentes mais comuns: samambaias, samambaiaçus e avencas. No entanto, o grupo das pteridófitas é muito grande e diversificado. O conhecimento popular sobre as samambaias é que elas apresentam “uns pontinhos marrons” debaixo das folhas. Os tais pontinhos são chamados soros e neles são produzidos os esporos reprodutivos das samambaias (reprodução assexuada, diga-se de passagem). No caso da Anemia, os soros não se encontram na face inferior da folha da samambaia, mas constituindo uma folha separada chamada esporófilo (folha que produz esporos). Osmunda é um outro gênero pertencente a esse mesmo grupo e com esporófilo bem desenvolvido. Lembro quando existia uma Osmunda regalis plantada em um vaso num dos corredores do Departamento de Botânica da UFMG, ponto de visitação obrigatória na época do ano quando o esporófilo se desenvolvia.

Na primeira foto, uma Anemia com trofófilo (folha comum, fotossintetizante) e esporófilo. Depois o detalhe do esporófilo. Existem muitas Anemia no caminho da cascata, logo onde começa a trilha no começo do córrego. Parque da Cascata, junho/2008.
Fotos e texto: Ramon Lamar de Oliveira Junior

3 comentários:

  1. Oi Ramon,

    estamos passando pra divulgar a Tertúlia Pão de Queijo. Um local de encontro da literatura/poesia mineira na internet.

    Se achegue e seja bem-vindo!

    ResponderExcluir
  2. O^ Ramon,

    este corrego e' fogo mesmo. Uma vez - numa das nossas inumeraveis excursoes de adolescentes - eu e o Tilu Dornas caimos ao mesmo tempo. O Paulinho de D. Dochinha tentou evitar nossa queda e por solidariedade, caiu tambem!!!!!
    Isso aconteceu ha uns 2500 anos atras! Ou 2400 anos atras, nao me lembro bem.

    Abraços,
    Claret

    Uma vez mais, obrigado pelas fotos.

    ResponderExcluir
  3. Adorei. Sugiro que você monte uma grade sobre a Serra de Santa Helena...
    "Não nasci neste solo, mas plantei minha semente aqui."...
    Serei a primeira da fila, ok?
    Abraços,
    Alessandra Casarim

    ResponderExcluir

Clique em "Participar deste site" e siga o blog para sempre receber informações sobre atualizações. O seu comentário será publicado após ser lido pelo administrador do blog.