As imagens deste blog podem ser usadas livremente, desde que a fonte seja citada: http://ramonlamar.blogspot.com

domingo, 22 de novembro de 2015

Cerambicídeos

Dizem que aproximadamente 40% de todas as espécies de seres vivos são de besouros. Isso faz dos coleópteros (besouros), sem dúvida, um dos grupos melhor adaptados às condições do nosso planeta. Ali estão os escaravelhos, os "rola-bosta", os vagalumes, os bicudos e as joaninhas. 
Dentro dessa grande Ordem dos Coleópteros, uma família tem destaque especial, a Família Cerambycidae (cerambicídeos). São besouros de corpo um tanto alongado e que se caracterizam principalmente pelo tamanho de suas antenas, sempre maiores que o corpo dos animais.

Cerambicídeo (foto Alexandre Costa Silva)
Nessa época de início das chuvas, os insetos costumam invadir a casa das pessoas à noite, atraídos pela luz e em busca de outros também que ali estejam para suas atividades sexuais. Pois bem, de uma hora para a outra nossa casa é invadida principalmente pelas "aleluias" (siriruias, siriricas, tiriricas...) que são as fases aladas reprodutoras de cupins e formigas. Inclusive, logo depois das chuvas, podem aparecer as tanajuras, formas reprodutoras das saúvas (formigas cabeçudas, formigas cortadeiras).

 
 Formiga comum alada, cupim alado e tanajura (saúva alada)

Mas um inseto que chama a atenção é o tal do cerambicídeo. Na última semana recebi duas "consultas" sobre ele. O tal "inseto de antenas grandes"! Numa das consultas, meu cunhado fotografou um belo exemplar passeando sobre o varal e queria sabem de "quem" se tratava. Outra, mais dramática, foi de uma aluna que se viu "mordida" por um cerambicídeo na madrugada de hoje. Cerambicídeos não são agressivos, basicamente são herbívoros, alimentando-se de pólen, folhas etc. Há também aqueles que têm potente aparelho bucal e cortam a madeira, conhecidos como "serra-paus". A tal "mordida", portanto, deve ter sido involuntária, ou seja, o inseto assustou-se com a mão da minha aluna e aplicou um ato de defesa. 
Entre os cerambicídeos estão duas das maiores espécies de insetos, o Titanus giganteus e o Acrocinus longimanus, ambas as espécies podem ser encontradas aqui na região de Sete Lagoas.

Titanus giganteus
Acrocinus longimanus
 Texto: Ramon L. O. Junior

Um comentário:

  1. Meu Deus! Se encontrasse um destes, sairia correndo.
    Já vi alguns, e particularmente, não gosto nada deles, pois, por mais incrível que pareça, eu os associo a maus presságios. Explico: toda vez que aparece um em minha casa, dias depois alguém morre. Foi assim com meu pai, meu sobrinho e outras várias pessoas.

    ResponderExcluir

Clique em "Participar deste site" e siga o blog para sempre receber informações sobre atualizações. O seu comentário será publicado após ser lido pelo administrador do blog.