As opiniões emitidas neste blog, salvo aquelas que correspondem a citações, são de responsabilidade do autor do blog, em nada refletindo a opinião de instituições a que o autor do blog eventualmente pertença. Nossos links são verificados permanentemente e são considerados isentos de vírus. As imagens deste blog podem ser usadas livremente, desde que a fonte seja citada: http://ramonlamar.blogspot.com

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Distrito de Glaura (Ouro Preto) e Sete Lagoas

O quê temos em comum???

Problemas com licenciamento ambiental de empreendimento da EPO Engenharia. A mesma do famigerado bulevarsantahelena. Aliás com projetos (não mostrados) do Gustavo Pena.
Dá pena... clique aqui.

Trechos (clique para ampliar):





Qualquer semelhança é mera coincidência...
Beleza, hein?
Ramon L. O. Junior

bulevarsantahelena e desvalorização ambiental

A não proteção da área da Fazenda Arizona pelos proprietários denota bem o interesse em se conservar o meio ambiente (em vários trechos nem cerca existe). Nunca antes na história desta cidade aquela região foi tão tomada por incêndios criminosos. Seria bom agora convocar a Virtual Engenharia para dar um laudo da destruição causada. Ministério Público, Supram... cadê vocês???

Visão de parte da Fazenda Arizona (futuro bulevarecológicosantahelena) mostrando algumas das regiões que foram afetadas pelas queimadas sucessivas de agosto e setembro. Sempre criminosas, diga-se de passagem.
Precisamos de uma imagem aérea para ter uma demarcação melhor. Mas é, no mínimo, isso aí que está na foto. Vergonha!!!

Imagem montada panorâmica. Fotos de hoje (01out2011). Clique para ampliar.
 Fotos e texto: Ramon Lamar de Oliveira Junior

Gavião (no bairro Cidade de Deus)


Fevereiro/2010
Seria esse um gavião de rabo branco (Buteo albicaudatus)? Dei uma pesquisadinha básica nas "Aves de Rapina" e achei bem parecido. Inclusive o hábito de "tomar banho de sol arrepiando a plumagem", visto na imagem ao lado. (Clique nas imagens para ampliar)
Sistemática de aves é um assunto que não domino. Conheço um bocado, mas... tem muita coisa pra se conhecer ainda...


Fotos e dúvida: Ramon Lamar de Oliveira Junior

Arco-íris na Serra do Cipó

Finzinho de tarde, chuvinha fina e rápida... março de 2010...



Por falar nisso, vem chuva, vem!!!

Foto: Ramon Lamar de Oliveira Junior

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Poda técnica de árvores

A poda de árvores deve seguir alguns princípios gerais, quer seja em casa, numa rua ou numa praça. Uma condição importante é que a poda garanta a sobrevivência da árvore, não lhe causando mais problemas do que benefícios. O destopamento das árvores, já referido aqui no blog como prática criminosa - veja AQUI), é um exemplo de mais problemas do que benefícios para a árvore, muitas vezes resultando na sua morte.
A questão das árvores sob fiação elétrica é dramática. Luta feroz entre as concessionárias de energia (que pensam apenas em garantir o funcionamento da rede elétrica, prioridade óbvia e desejável para elas e para os cidadãos) e o paisagismo urbano (que muitas vezes tem que "aceitar" as deformidades infringidas às árvores, que muitas vezes acabam causando a morte da mesma). Tal questão precisa de uma abordagem firme e serena, porém fruto de muita discussão e bom senso: o Plano Municipal de Arborização Urbana. Tal plano deve prever quais espécies podem ser plantadas sob fiação elétrica, quais não podem, quais devem ser suprimidas por essa razão e em qual intensidade isso deve ser feito (considerando riscos maiores ou menores). Um plano desse tipo é para durar décadas, para ser seguido à risca pelos prefeitos que se sucederem, portanto, fruto de intenso debate e consenso.
Voltando aos princípios gerais da poda, um dos mais importantes e definidor de quais ramos são prioritários para a supressão é o da exposição à luz. Nem todos os ramos da planta estão expostos à mesma intensidade de luz. Consequentemente não possuem a mesma intensidade fotossintética (produção de açúcares = alimento). No entanto, o consumo de açúcares (respiração celular) é praticamente constante e independente da intensidade de luz recebida pelo ramo. Assim, ramos localizados na sombra acabam consumindo mais açúcares (retirados da seiva de uso comum por toda a planta) do que produzindo. Tornam-se fracos, mais sensíveis a doenças e praticamente são parasitas da planta. Os ramos expostos à iluminação plena têm que arcar sozinhos com essa demanda extra, gerando um estresse na planta. O gráfico abaixo ajuda a entender tal conceito (intensidade dos processos metabólicos em função da intensidade de luz):

Clique na imagem para ampliar.
A partir dessa compreensão, os ramos mais à sombra devem ser eliminados, rentes ao caule principal, preservando a crista que garante a regeneração da casca e cicatrização efetiva. (Para entender a função do colar e da crista, consulte as páginas 6 e 7 do Manual de Poda Urbana da Prefeitura de São Paulo, disponível AQUI.)
O resultado final, deve ser algo próximo ao ilustrado na imagem abaixo:

O antes e o depois da poda.
Decidi escrever este post ontem (28/set/2011), após confirmar que finalmente começamos a ter podas técnicas além do padrão CEMIG de "só podar onde tem fiação". Está ainda um pouco tímida, mas já se faz notar. Registrei tal ação de poda na Praça Alexandre Lanza (clique AQUI). Agora observo também na Praça Dom Carmelo Motta, veja abaixo.
 

Fico no aguardo do PREPARA (Programa de Remoção de Parasitas). Mas de qualquer maneira, não posso deixar de dar os parabéns ao corpo técnico da Secretaria do Meio Ambiente. 
Aguardamos mais boas novidades!!!
 
Texto, fotos e esquemas: Ramon Lamar de Oliveira Junior
Nos esquemas, desenhos do site www.tree-felling.co.uk modificados.
 
PS.: Secretário Cláudio Busu, uma boa aragem sopra pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente. Aproveite o momento para fortalecer o espírito de equipe da turma. Sete Lagoas não precisa de ações mirabolantes, precisa apenas do trabalho efetivo e capacitado que sei estar presente em cada um de seus funcionários, mas que muitas vezes é subestimado e tolhido. Que a força verdadeiramente esteja com vocês!

Mico-estrela passeando na fiação

Em Fortuna de Minas (MG). Curioso...
... e em fuga! Callithrix sp, o mico-estrela.
Esses dois, a pedido do Frederico Dantas, foram fotografados aqui em Sete Lagoas, no semáforo da Paulo Frontin com a Villa Lobos. Curiosamente na mesma pose dos de Fortuna de Minas. (Julho/2011)
Fotos: Ramon Lamar de Oliveira Junior

Ipê branco

Na estrada, pertinho de Fortuna de Minas...

Ipê branco: Tabebuia roseo-alba (21set2011)
Floração entre agosto e outubro. A floração é efêmera, durando no máximo cinco dias, ao contrário dos ipês amarelos e roxos que podem durar até 10 dias.

Foto: Ramon Lamar de Oliveira Junior

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Lagoa José Félix: lagoa particular

E, mesmo assim, com altíssimos níveis de poluição.


Foto: Ramon Lamar de Oliveira Junior

domingo, 25 de setembro de 2011

Cãezinhos para adoção

Cinco cãezinhos SRD estão disponíveis para adoção na loja da Mundo Animal na rua Santa Helena, perto da Praça do Canaã. Os cãezinhos nasceram na escolinha da CEMIG e a mãe faleceu. Três funcionários da CEMIG já adotaram três dos onze filhotes. Quatro foram levados para a loja do Mundo Animal onde a veterinária constatou o excelente estado de saúde deles e pediu que os outros quatro também fossem para lá. Mais três foram adotados, restam cinco. Vá lá e busque o seu. 
Aqui em casa não dá: é apartamento e já tem gato!




Olha só os danadinhos aí ao lado, 
foto feita enquanto ainda
estavam na CEMIG.


Nova pista de skate e dúvidas

Desculpem a ignorância, mas pista de skate é assim mesmo, com essas quinas vivas? Ou a obra não está pronta ainda e as quinas vão ser arredondadas? Jovens já estão lá usando as pistas... um morador próximo, preocupado com os acidentes (que já aconteceram) me mandou estas fotos...
Deputado Ronaldo João, pessoa extremamente preocupada com a saúde da população setelagoana, dê uma conferida lá!



Fotos feitas por morador das proximidades da Lagoa da Boa Vista.
Dúvidas: moradores da região e Ramon Lamar de Oliveira Junior

sábado, 24 de setembro de 2011

Armadilha para turistas (e nativos)

Do lado da Lagoa do Cercadinho, repousa esse bueiro aberto há mais de um ano. 
Na hora que um carro de turista parar ao lado, nosso visitante cair lá dentro e quebrar uma perna...

Todo mundo já noticiou esse bueiro... que insiste em comemorar mais um aninho de idade... (set/2011)
Foto: Ramon Lamar de Oliveira Junior

Diminuiu mas não secou!

O trabalho do ex-secretário do Meio Ambiente, Lairson Couto, resistiu a mais uma seca. A obra de recuperação do espelho d'água da Lagoa do Cercadinho completa 3 anos sem secar totalmente (ou quase totalmente) como fazia no passado. Resta aplicar o know how da solução para as outras lagoas de mesmo porte, como a Lagoa da Catarina.

Lagoa do Cercadinho, baixa mas ainda com água na última quinzena de setembro.
Fotos: Ramon Lamar de Oliveira Junior

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Serra Ferida

Como as últimas queimadas reavivaram uma "voçoroca" que já se encontrava praticamente consolidada na Serra de Santa Helena.

Abril de 2011

Setembro de 2011
Fotos: Ramon Lamar de Oliveira Junior

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Paineira reposta

Depois da supressão da paineira da Praça Dom Carmelo Motta, que causou grande alvoroço e polêmica, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente promoveu hoje pela manhã, nas comemorações da Semana da Árvore, o plantio de uma nova paineira bem próximo ao local da supressão da outra.


Foto: Ramon Lamar de Oliveira Junior

A fonte na Lagoa Paulino

Lagoa Paulino, Sete Lagoas, MG - 21/set/2011
Foto: Ramon Lamar de Oliveira Junior

Os pirarucus da Lagoa Paulino

Na condição de biólogo não posso deixar de criticar a colocação de pirarucus (Arapaima gigas) na Lagoa Paulino. Nativo da Bacia Amazônica, frequentador de águas profundas e voraz carnívoro, a situação deles na Lagoa Paulino não deve ser a mais cômoda. Nem livres da predação humana não estão. Recentemente um foi morto a pauladas nas margens do "Lago Encantado".
De uma forma ou de outra, o bicho conseguiu se adaptar ao local e inclusive já reproduziu. Faz coisa de uns quatro meses consegui fotografar os cardumes de filhotes vindo à superfície para respirar. Logo depois, um pouco mais crescidos, separam-se e foram vistos em vários pontos da Lagoa. Foto apresentável do adulto só consegui hoje. Mesmo assim, umas fotos "mais-ou-menos" devido à turbidez exagerada da água da lagoa (eutrofizada não, nem um pouco!).
Seguem as imagens (clique nelas para ampliar):

Na Lagoa Paulino mesmo, para não ter dúvidas. (21/set/2011)
A "cara" do danado. Nas duas fotos, reparem nas manchas (escamas) no corpo.
 
O cardume com os filhotes bem novos (chegam todos juntos para "respirar" na superfície)
e algumas semanas depois, já dispersos.

Fotos e texto: Ramon Lamar de Oliveira Junior

PS.: As pessoas ficam fascinadas pelo pirarucu. Um pai e uma filha ficaram do meu lado, fazendo várias perguntas. Biólogo é pra isso! Fico muito feliz nesses momentos! Depois assentaram-se na margem da lagoa para ficar admirando o bicho. Naquele momento, como em muitos outros, eu me questionei sobre o papel daquele bicho ali. Deve estar sendo difícil para ele, mas nenhum dinheiro do mundo paga a experiência daquela menina, sentada ao lado do pai e admirando o peixão! E olha que o nosso tem em torno de 1,5 metros. O bichão mesmo pode atingir 3 metros de comprimento e 200 kg.

Dia da Árvore (fotos de hoje)

No meu intervalo-entre-aulas, consegui sair correndo e fotografar 3 árvores para simbolizar a data. Cuidemos de todas, com igual carinho. Elas nos pedem muito pouco.

Castanheira, castanhola, amendoeira, chapéu-de-sol (Terminalia sp.)
Figueira (Ficus elastica)

Sapucaia (Lecythis pisonis)
Fotos: Ramon Lamar de Oliveira Junior

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Ações na Semana da Árvore

Fonte: www.setelagoas.com.br (clique AQUI)
Sete Lagoas deu início às comemorações da Semana da Árvore nesta segunda-feira (19). A abertura do evento aconteceu na Avenida Villa Lobos, em frente ao Colégio Caetano. 
Na ocasião, foram entregues à comunidade as obras de revitalização dos canteiros centrais da Avenida.  O superintendente da secretaria municipal do Meio Ambiente, Sérgio Campos de Freitas, ressaltou a importância de se cuidar do meio ambiente e garantiu que no próximo mês terão início as obras de revitalização de todas as lagoas da cidade
O vereador Claudinei Dias (PT), representante da Frente Parlamentar do Meio Ambiente, ressaltou a importância das árvores para a manutenção da vida. “Árvore é vida! Temos que olhar o meio ambiente com olhar do próprio meio ambiente. As questões ambientais têm sido discutidas de forma bastante tímida na cidade, mas devem ser colocadas em pauta diariamente”, afirmou.
Em seguida, alunos da Escola Municipal Clarindo Cassimiro e do Colégio Caetano, caminharam até a Lagoa do Cercadinho onde realizaram plantio de mudas de árvores.
COMENTÁRIOS:

1) Garantir que no próximo mês (chuvas chegando) terão início as obras de revitalização de TODAS as lagoas da cidade é uma aposta e tanto. Isso no pôquer é o mesmo do que um "all in" (= aposto tudo).
2) Desculpe-me, vereador Claudinei, mas não concordo. As questões ambientais têm sido apresentadas de forma bem clara (lembro de minha apresentação a seu convite na Semana da Água, mais claro do que aquilo é impossível). Outro exemplo, e bem mais importante, foi a participação na Audiência Pública sobre o bulevarsantahelena. A questão é que quem deveria dar ouvidos às reclamações faz "ouvidos de mercador". Talvez seja esse o espírito de sua fala: não há como dialogar com quem não quer diálogo. Se for isso, concordo plenamente!
3) Parabéns aos técnicos da Secretaria de Meio Ambiente que resolveram seguir o projeto original de arborização da Lagoa do Cercadinho. Faz muito tempo que não vejo uma administração seguindo projetos de administrações anteriores. Simplificar é a palavra chave. Parabéns mesmo!!!

Comentários: Ramon Lamar de Oliveira Junior

domingo, 18 de setembro de 2011

Poda nas árvores da praça Alexandre Lanza

Recentemente as árvores da praça Alexandre Lanza sofreram uma poda. Vi, no Facebook, algumas reclamações a respeito da poda. Porém, não creio que a poda tenha sido mal feita. Os taxistas da praça não aprovaram muito a remoção de alguns galhos da Ficus benjamina (que fica ao lado do posto policial) porque perderam um pouco da sombra na parte da tarde. Mas não havia outro jeito. Lembrei a eles da outra que existia lá e caiu justamente por falta de podas desse tipo, torcida pelo vento. As podas na tipuana e nos oitizeiros foram adequadas: galhos baixos que estavam na sombra da copa (apenas tiram energia da planta porque quase nada produzem em termos de fotossíntese) e podas bem rente ao caule para permitir a cicatrização natural. Ah, bem que podiam ter tirado as ervas-de-passarinho, né? Será possível?
Os taxistas me informaram que os micos continuam usando as árvores. Passam por lá indo na direção do Mercadão onde ganham frutas de alguns lojistas. Nem sempre só frutas, isso não é bom. Cuidar dos bichinhos é dar uma alimentação adequada para eles. É isso!

As árvores podadas na praça Alexandre Lanza.
Fotos e texto: Ramon Lamar de Oliveira Junior

sábado, 17 de setembro de 2011

Dúvidas sobre o tomógrafo do Hospital Municipal

O tomógrafo é um aparelho importantíssimo para a realização de alguns exames. Eu mesmo já fui "tomografado" algumas vezes. E graças a ajuda desse aparelho e do querido Dr. Ivan Bastos Roedel e sua equipe (incluindo o Dr. Josino, meu anestesista), estou aqui para escrever besteiras neste blog e dar minhas aulinhas. 
Fiquei muito feliz com a aquisição de um tomógrafo moderno para o Hospital Municipal (mas não passa pelos meus planos visitá-lo mais de perto, se é que me entendem). Mas também fico preocupado com o fato da demora do mesmo ser colocado em funcionamento. Tenho algumas dúvidas. Se alguém puder responder, ficarei agradecido.

1) O tomógrafo foi comprado quando? (A notícia mais antiga que tenho dele é de abril de 2010 - clique AQUI).

2) A garantia de 36 meses começou a contar no momento da compra ou começa a contar no momento da instalação e início do funcionamento?
GARANTIA
Visando preservar o investimento e a disponibilização do equipamento, o aparelho de tomografia foi adquirido com manutenção de 36 meses. Nesse período, o município não terá custo algum com a manutenção preventiva e corretiva do equipamento. (Release enviado pela ASCOM Saúde em 19/07/2011)
3) O tomógrafo já está funcionando?

Dúvidas: Ramon Lamar de Oliveira Junior

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

O pulso ainda pulsa...

Sapucaia, folhas e flores...

Sapucaia: Lecythis pisonis
Fotos: Ramon Lamar de Oliveira Junior

Abandonos...


Na Praça Dom Carmelo Motta... (14/set/2011)
Fotos: Ramon Lamar de Oliveira Junior

terça-feira, 13 de setembro de 2011

A sibipiruna da Teófilo Otoni

A sibipiruna (Caesalpinia peltophoroides) é uma árvore nativa do Brasil, com variedades encontradas na Mata Atlântica e no Cerrado. Cobre-se agora nos meses de setembro e outubro de folhagem verde e inflorescências amarelas, muito propícias para lembrar o mês da Independência.
A sibipiruna da rua Teófilo Otoni está para ser suprimida (eufemismo para cortada). Mas a situação da bela sibipiruna é diferente da situação da paineira recém derrubada na praça Dom Carmelo Motta. As imagens abaixo mostram profundas lesões no caule da sibipiruna, com um comprometimento grande para a sustentação da imensa copa. Uma lesão, repare nas fotos, trespassa o caule. A lógica diz que essa árvore deva ser suprimida (parece que a supressão será analisada amanhã no CODEMA, uai... a paineira não foi analisada?). Mas que momento para fazer isso, hein? No máximo da pujança da árvore. Vai dar discussão, ô se vai...

 
 
Cinco fotos de hoje (13/set/2011) da sibipiruna da Teófilo Otoni, mostrando a situação do tronco para o julgamento dos leitores do blog. E uma foto de outra sibipiruna em plena floração, para quem não entendeu ainda que planta é essa! [Cliquem nas imagens para ampliar.]

Precisamos, agora, discutir urgentemente sobre a reposição de árvores. Muitas árvores. O centro está se transformando em um deserto. A Monsenhor Messias e a Lassance Cunha perderam muitas árvores ao longo do tempo, sem reposição. As calçadas são estreitas, a fiação atrapalha... mas existem espécies propícias para muitos locais do centro da cidade. E é bom lembrar que até mesmo onde as calçadas permitem, faltam árvores.

Fotos e texto: Ramon Lamar de Oliveira Junior

Tempo fechado

Apoio a condomínios em áreas de proteção ambiental, situação catastrófica das lagoas e péssima atuação na condução do combate aos incêndios na Serra de Santa Helena podem causar baixas no primeiro escalão.

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

A paineira, o "ficus" e a miopia...

Uma das paineiras (a maior delas, ainda resta uma) da praça Dom Carmelo Motta foi cortada hoje cedo. Eu já sabia da história e já havia antecipado a ocorrência no meu perfil do Facebook (dia 30 de agosto... cliquem AQUI). A questão já vem de longa data. Bem no início do mandato atual alguém comentou comigo (acho que foi o amigo Lairson Couto, então Secretário do Meio Ambiente) que algumas pessoas estavam incomodadas com o buraco no caule na base da mesma e que estavam colocando fogo lá dentro (olha o vandalismo!!!). Fui lá, informalmente, dei uma olhada e falei com ele que não parecia um assunto de muita preocupação até por causa da inclinação e espessura do tronco. Ficou por isso mesmo.

Em fotos recentes: a paineira em março, com flores, e a paineira agora em agosto, 
recuperando as folhagens e brotos (fato normal depois da queda das flores e folhas).

À esquerda o oco na base do tronco (poderia ser limpo e preenchido com concreto, seguindo-se uma poda para 
redução do peso da árvore). À direita o resultado do corte da paineira... sobrou até para o banco.

Agora, recentemente, fui informado de uma história do tipo "o Ministério Público exigiu o corte de duas árvores com problemas no caule". Algumas pessoas da Secretaria de Meio Ambiente estavam de acordo com a minha observação, mas o IEF deu um laudo condenando a árvore. Uma das razões seria que "os afundamentos na calçada no entorno indicavam que as raízes estavam apodrecendo e a árvore iria cair". Achei estranho esse negócio de ver raiz apodrecendo sem cavar o chão. Sei lá. O pessoal do IEF é experiente e merecedor de todo respeito, só acho que deveriam ter cavado o chão para comprovar a hipótese. Além do mais, o furo na calçada não estava na direção das raízes principais e a paineira estava enchendo-se de folhas (coisa estranha para uma árvore com raízes podres).
Sem querer (ou poder) contrariar o IEF e o Ministério Público, a Secretaria de Meio Ambiente teria autorizado a supressão.
O mais estranho é que a figueira (Ficus elastica) próxima ao Cine Fox está a uma distância de uns 70 metros da paineira cortada. O Ficus está todo prejudicado pelas fezes das garças, com galhos totalmente podres e altos que podem realmente cair nas pessoas e ali não ocorre a poda (poda, viu?, não precisa arrancar a árvore pelas raízes!). As imagens dos galhos grossos, secos e podres estão aí ao lado, com fungos orelha-de-pau que, sem a necessidade de visão de raios X, mostram que estão podres mesmo. Um caso não muito raro de miopia paisagística.


 Clique nas imagens para ampliar e ver a podridão dos ganhos. Na foto menor, percebe-se os fungos
do tipo "orelha-de-pau" que aparecem nos tecidos vegetais irremediavelmente podres.

Fotos e texto: Ramon Lamar de Oliveira Junior

PS.: A outra árvore que será suprimida é a sibipiruna próximo à Agência Costa, Foto Arte Vídeo e Hospital Unimed (rua Teófilo Otoni). A mesma também tem lesões no caule principal. Essa ainda não tive tempo de ir lá avaliar. Espero que eu consiga ir antes das moto-serras. As fotos abaixo, do Google Street View, mostram uma situação bem mais complicada do caule, com  um oco trespassando a base de uma das ramificações principais. Risco muito maior, sem dúvida, e em área de muitos passantes.

 Fotos: Google Street View