As opiniões emitidas neste blog, salvo aquelas que correspondem a citações, são de responsabilidade do autor do blog, em nada refletindo a opinião de instituições a que o autor do blog eventualmente pertença. Nossos links são verificados permanentemente e são considerados isentos de vírus. As imagens deste blog podem ser usadas livremente, desde que a fonte seja citada: http://ramonlamar.blogspot.com

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Mengip, leve alegria para onde você estiver.

"- Seu José, mestre carpina,
que diferença faria
se em vez de continuar
tomasse a melhor saída:
a de saltar, numa noite,
fora da ponte e da vida?"


João Cabral de Melo Netto
(Morte e Vida Severina)
Essa última madrugada foi dura. Dureza que já vinha se arrastando desde segunda-feira. Nosso gato, o Mengip, apresentou uma complicação de obstrução urinária. Recebeu todo o tratamento veterinário que podia, com toda a atenção possível. Infelizmente não resistiu. Estava fraco, com o olhar vago, sem forças. Na madrugada, partiu. "Saltou, numa noite, fora da ponte e da vida." Não por vontade própria, mas para um merecido descanso. Deixou-nos absolutamente tristes, machucados. Tristeza que temos que curar lembrando de tantos momentos felizes que ele nos proporcionou, e nós a ele.

O gato Mengip.
Pode parecer sentimentalismo bobo, mas a ligação entre nós humanos e nossos bichinhos de estimação é muito forte. São bichinhos de estima, de carinho, de atenção. E nos retribuem cada afago, cada brincadeira, cada vez que enchemos seu pote com ração ou com água fresca. 
Falei com a minha filha logo no primeiro dia que ele veio cá para casa: " - Filha, gatinho vive menos do que a gente. Quando ele for, quando chegar a hora, esteja preparada." Ele foi muito cedo, com quatro anos. Ela não estava preparada, nem eu, nem ninguém.
Fica a saudade imensa. Como a do Lulu, que foi-se há pouco mais de um mês. Agora eles estão juntos, brincando como não puderam brincar juntos em vida.
Vai, Mengip. Lembre-se de nós com o carinho que lembramos de você.

Ramon Lamar de Oliveira Junior

4 comentários:

  1. Ô mestre...Difícil escrever. Não é fácil esse momento, passei por isso quando tbm perdi meu gato a um ano atrás. Tenho certeza que não exagero quando digo que esses animais são mais fieis que muitos homens.
    Fieis companheiros, fieis em manifestar insatisfação ou satisfação, enfim, fieis em tudo...
    Fica guardado no baú chamado coração e registrado na memória pra sempre, todos os bons momentos que vocês estiveram juntos, isso é eterno.
    Força.

    ResponderExcluir
  2. É... eu faço minhas as palavras de Saulo, os animais sao companheiros de maior fidelidade que o homem pode ter. eu perdi meu amado cachorro a pouco tempo, sei como é doloroso,lamentável.
    Um braço cheio de força para vcs.
    Luciene Paixão.

    ResponderExcluir
  3. Entendo perfeitamente a tristeza de voces, qdo nosso gatinho Felipe César se foi, tbm sentimos a mesma coisa.
    No nosso caso, Felipe saiu pra passear e foi assasinado por um vizinho infeliz, que tem prazer de matar a tiro os animais e depois desaparece com o corpinho.
    Acho que desse modo é ainda pior, ficamos dias procurando, e o vizinho e a familia devem ter se divertido como nossa tristeza.Infelizmente não temos provas, mas todos aqui sabem que ele faz esse tipo de coisa.Eu moro no Bom Jardim, se vc morar por aki, guarde bem seus bichinhos.Abraços a todos.

    ResponderExcluir

Clique em "Participar deste site" e siga o blog para sempre receber informações sobre atualizações. O seu comentário será publicado após ser lido pelo administrador do blog.