As opiniões emitidas neste blog, salvo aquelas que correspondem a citações, são de responsabilidade do autor do blog, em nada refletindo a opinião de instituições a que o autor do blog eventualmente pertença. Nossos links são verificados permanentemente e são considerados isentos de vírus. As imagens deste blog podem ser usadas livremente, desde que a fonte seja citada: http://ramonlamar.blogspot.com

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Lagoa do Brejão: onde está o poder público?

O Fabiano, leitor do blog, enviou um comentário solicitando que eu fizesse uma visita para conhecer a situação em que se encontra a Lagoa do Brejão. Dizia ele do lançamento de esgoto in natura na lagoa e da ausência de solução pelo SAAE e pela Secretaria de Meio Ambiente. 
A Lagoa do Brejão encontra-se na saída da cidade pela "estrada velha". Poucas vezes estive ali antes. Da última vez, já faz muito tempo, estive coletando alguns insetos (coisa de biólogo) e me assustei com a quantidade de caramujos Biomphalaria, transmissores da xistose. Para o ciclo se completar, há necessidade da presença de fezes humanas contaminadas na água, coisa que na época era inexistente ou desprezível. Não encontrei o caramujo por lá dessa vez, mas só tive acesso a uma parte pequena da margem do "brejão". Lagoa mesmo, não existe mais.

Vista da Lagoa do Brejão. São aproximadamente 330 metros de comprimento e 120 metros na largura máxima. [Clique para ampliar e verificar os pontos a e b] Imagem: Google Earth, 29 de junho de 2005.
Ao ler a mensagem do Fabiano, lembrei-me imediatamente da situação. Ontem à tarde, na companhia do Marcão (Estado de Minas e ex-aluno), fui observar o problema de perto. Bem de perto.
Realmente o esgoto está jorrando para dentro da lagoa. No final das ruas Papagaios e Luzia Ferreira da Silva, o esgoto não tem para onde ir, falta uma estação de bombeamento. Ali existe um terreno do SAAE onde, dizem os moradores, o esgoto é armazenado e um caminhão vem recolher. Mas é esgoto demais. Isso não funciona. Não para de jorrar e em determinados horários o volume é muito maior.
Conversando com moradores, tivemos acesso aos exames parasitológicos de fezes de duas crianças que moram bem próximas ao local do lançamento de esgoto. Quatro protozoários em cada uma delas: Entamoeba coli, Entamoeba histolytica e Giardia lamblia estavam presentes nas duas crianças.; uma tinha também a Endolimax nana e a outra a Iodamoeba butschilii. E. histolytica e G. lamblia merecem especial atenção, sendo que as complicações por E. histolytica podem ser fatais. Conforme a mãe, as crianças receberam o tratamento adequado. Os adultos também devem procurar fazer um exame de fezes. Expliquei a eles que as crianças são mais sujeitas à contaminação pelo contato repetido com a terra contaminada, mas os adultos podem ingerir os cistos dos parasitas veiculados para dentro de casas por moscas, por exemplo. Felizmente, nada de xistose nos dois exames.
Vamos ver algumas imagens e os comentários explicativos. Clique nelas para ampliar.

O espelho d'água da Lagoa, que ainda é visível na foto do Google Earth, desapareceu rapidamente em coisa de 2 anos. Foto tirada próximo ao ponto b da imagem anterior.
Imagem do Google Street View obtida em 2009 (infelizmente não temos a data exata) no ponto a. Observe o esgoto minando junto ao poste e a pequena quantidade de aguapés na margem. Uma parte do espelho d'água ainda é visível em meio ao mato.
Foto obtida ontem no ponto a. Verifique que o espelho d'água praticamente desapareceu e os aguapés proliferaram bastante.
Foto obtida no ponto a. Esgoto minando e se espalhando no gramado em direção à lagoa. O cheiro é insuportável. Os aguapés já crescem junto ao local onde o esgoto está minando.

Foto obtida no ponto b. Esgoto correndo em direção à lagoa.
Novamente o esgoto minando no ponto a (observe os aguapés). Mais acima, subindo a rua Papagaios, observe o muro branco pintado de azul. O SAAE "está presente" ali. O tal "tanque para armazenar esgoto" encontra-se lá dentro. Se essa é a melhor solução que a engenharia sanitária do SAAE consegue providenciar no século XXI, estamos perdidos!
Na minha interpretação, é ponto sem contestação. O SAAE falhou na análise técnica, política e humana da situação, tendo deixado os moradores desamparados em relação ao problema. E ainda mais: matou uma lagoa. A resposta, já sabemos antecipadamente, pois é a mesma que vem sendo dada em todos os casos similares: está se sentindo lesado, entre na justiça!
Resta pedir aos leitores do blog que acionem seus conhecidos. Que peçam aos vereadores eleitos que olhem por esses moradores. Que roguem ao executivo municipal e aos novos secretários que tomem alguma providência para resolver o problema. Que implorem ao SAAE, de joelhos talvez, que escutem os problemas que essas famílias estão passando e encontrem solução urgente. Será que a poderosa Secretaria de Obras não tem como ajudar?

Texto e fotos (exceto as referidas ao GE): Ramon Lamar de Oliveira Junior

PS1: O problema não se resume a SAAE ou COPASA. A COPASA também faz as delas nos municípios onde gerencia o sistema.

5 comentários:

  1. "Água, recurso finito e vulnerável, essencial para a vida, o desenvolvimento e o ambiente"
    Este foi o primeiro princípio que concluiu a Conferência de Dublin, em 1992, na busca global para a gestão sustentável da água. Global...

    É isso mesmo, enquanto tratados internacionais acerca da gestão da água tramitam nas convenções, nossos representantes circulam na contra mão do mundo.

    Percebe-se que a matéria apresentada pelo Prof. Ramon vai muito além da forma científica em que domina, não só pela riqueza de detalhes em que nos é apresentada, mas também pela presença de anseio por uma solução. Para aprofundar mais, só mesmo conhecendo pessoalmente o local, e isso ele o fez. Para aqueles que não acreditam que existe uma situação assim tão próxima da gente, está convidado a conhecer. Infelizmente, este é o RETRATO DA REALIDADE.

    Agora, diante tanta informação, (e sabemos que vários figurões acessam este blog), esperamos uma resposta satisfatória, que atenda o anseio da população, sem promessas, delongas ou desculpas, mas sim, uma SOLUÇAO!

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  2. Olá Professor Ramon!

    Só pra lhe manter bem informado...
    Devo lhe dizer que o problema aqui não foi solucionado, apenas mudou de endereço.
    Agora o ponto de vazamento é na Rua Aldo Costa, bem ao lado do antigo, e desagua na lagoa pela mesma forma.
    Veja uma foto tirada ontem, 30/01.

    http://falacombill.blogspot.com/

    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Bom dia Ramon,

    O Setor Operacional está trabalhando junto a engenharia para sanar os vazamentos . Primeiramente ocorrerá fiscalização das residências notificando os imóveis que não possuem caixa diluidora e lotam a rede de esgoto com todo tipo de lixo. A segunda etapa será tentarmos mudar a elevatória de lugar evitando as curvas e aumentando o desnível da rede e assim melhorando o fluxo do esgoto, depois vamos trabalhar junto a CEMIG para tentarmos diminuir as interrupções de energia que são frequentes e desarmam o sistema provocando assim o extravasamento.

    ResponderExcluir
  4. Narinha, boas notícias. Por favor, se possível nos mantenha informados sobre o andamento dessas ações para que possamos cobrar dos outros envolvidos (CEMIG, população etc).
    Grande abraço!!!

    ResponderExcluir
  5. Olá Ramon!

    Sabe me dizer se alguém, além da Narinha, se manifestou acerca do nosso assunto ainda pendente na lagoa Brejão?

    Segue anexo o link com fotos atuais do local.

    Caso tenha novidades me comunique.

    Grande abraço!

    http://falacombill.blogspot.com/2011/04/saae-nao-resolveu-nada-por-aqui.html

    ResponderExcluir

Clique em "Participar deste site" e siga o blog para sempre receber informações sobre atualizações. O seu comentário será publicado após ser lido pelo administrador do blog.