As opiniões emitidas neste blog, salvo aquelas que correspondem a citações, são de responsabilidade do autor do blog, em nada refletindo a opinião de instituições a que o autor do blog eventualmente pertença. Nossos links são verificados permanentemente e são considerados isentos de vírus. As imagens deste blog podem ser usadas livremente, desde que a fonte seja citada: http://ramonlamar.blogspot.com

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Revitalização do canteiro central da Avenida Villa Lobos

Ponto para a Secretaria Municipal de Meio Ambiente.
Um trabalho simples de recuperação dos meio-fios e plantação de grama transformou positivamente o visual do canteiro central da Av. Villa Lobos. É exatamente isso que estamos sugerindo já faz um tempão: soluções simples, nada mirabolante, canteiros e praças que fiquem bonitos e não exijam manutenção complicada. 
Agora, passando por lá, estava o caminhão da ViaSolo regando a grama recém plantada.
Parabéns!


Ontem, no mesmo local, enquanto fotografava as árvores para o trabalho mensal de estudo das espécies (já mencionado aqui no blog), fui interpelado por um morador que achou que eu era funcionário da prefeitura. Pediu, ou melhor, implorou para que as "árvores-da-China" (Koelreuteria) fossem substituídas por magnólias (Michelia champaca), segundo ele a arborização original do canteiro. E que se possível a prefeitura plantasse também algumas flores. Quanto as flores eu ponderei com ele que não seria o momento adequado, "vamos esperar a coisa andar mais um pouco, a manutenção, esses detalhes". Ele concordou. Quanto às árvores, ele não deixa de ter uma certa razão. A árvore-da-China fica muito bonita durante uns 2 meses do ano. Depois lança muitas folhas e sementes. Segundo ele, as sementes caem até nos telhados (pois são carregadas pelo vento) e causam um transtorno grande. A magnólia tem uma floração modesta, mas tem um cheiro agradável e atrai muitos pássaros. Fica aí a sugestão, quem sabe uma substituição gradativa dos paus-ferro e árvores-da-China? (Clique nas imagens abaixo para ampliar.)

Copa das árvores-da-China em março (esquerda) e julho (direita).

 Sementes da árvore-da-China e copa florida da Magnólia amarela.

 Fotos e texto: Ramon Lamar de Oliveira Junior

2 comentários:

  1. Eu não sei se as "arvores da china" são aquelas com o caule sem casca e branco. Quando chove, ou venta elas caem em cima dos carros e casas. Já passou da hora de tirar aquilo dali e plantar na casa de quem colocou. Elas, como a maioria das arvores da cidade são plantadas de forma imprópria e tem galhas que adentram pela rua afora, tornando-se obstáculos para ônibus e veículos maiores.
    Mas, não sou eu o biólogo para falar quais deverão ser plantadas, pois no achismo de leigo que sou, já basta todo brasileiro que é técnico de futebol e entendido de várias coisas, mas especialistas não.
    Tomara que tirem, não é por minha causa pois nem moro para aqueles lados, mas por causas das crianças e idosos que andam pela manhã nos passeios das casas.
    Agora, se deixar por conta de um florista anormal, que andou plantando arvores e roseiras por toda a cidade, ele planta eucalipto para aparecer mais.
    Prof. Chicão

    ResponderExcluir
  2. Chicão, as "árvores da China" são outras. As fotos estão aí no texto. Na rua Santa Catarina, no quarteirão dos fundos da Igreja de Santana também tem.
    A que você está falando é o pau-ferro a que me referi no final do texto. Sugiro que você leia os dois textos "Por que caem as árvores?" aí no blog. Ali está a razão da queda dos paus-ferro: problemas nas raízes e nas podas.
    Confira o texto retirado da internet:
    "O pau-ferro é muito visado para o paisagismo por suas características ornamentais e de sombreamento. Apesar do porte, não possui raízes agressivas, o que é um fator importante de eleição para arborização urbana. Deve-se evitar, no entanto, o plantio em calçadas, sob fiação elétrica, e em locais de transito intenso de pessoas e carros, pois os ramos tendem a quebrar e cair em tempestades, oferecendo perigo. Como o próprio nome já diz, o pau-ferro possui madeira dura, densa, durável e resistente, de excelente qualidade para a fabricação de violões e violinos, e para construção civil, na construção de vigas, esteios, caibros, etc. Seu crescimento é rápido, principalmente nos primeiros anos. Em recuperação de áreas degradadas, o pau-ferro também é uma excelente escolha, por crescer bem em áreas abertas."
    Com podas mal-feitas os caules apodrecem e caem os galhos e as árvores inteiras. Mas não é só ele que é mal cuidado. Tá difícil escolher uma boa árvore para plantar em Sete Lagoas, onde a manutenção deixa muito a desejar. Quem sabe melhora, né?

    ResponderExcluir

Clique em "Participar deste site" e siga o blog para sempre receber informações sobre atualizações. O seu comentário será publicado após ser lido pelo administrador do blog.