As opiniões emitidas neste blog, salvo aquelas que correspondem a citações, são de responsabilidade do autor do blog, em nada refletindo a opinião de instituições a que o autor do blog eventualmente pertença. Nossos links são verificados permanentemente e são considerados isentos de vírus. As imagens deste blog podem ser usadas livremente, desde que a fonte seja citada: http://ramonlamar.blogspot.com

sábado, 13 de agosto de 2011

O trabalho de Mendel, leitura obrigatória para biólogos.

Em 1865, Gregor Mendel publicava seus estudos sobre cruzamento em plantas. A glória só viria após a sua morte, quando no início do século XX outros pesquisadores chegaram ás mesmas conclusões e seu trabalho foi "descoberto" como parte da bibliografia que fundamentava os "novos" trabalhos.
Mendel, que aniversariava em 22 de julho (ei, eu também!), foi um exemplo no que diz respeito aos critérios estabelecidos em seu trabalho científico: a escolha minuciosa do material (ervilhas), escolha das características estudadas, planejamento do experimento, repetição exaustiva de experimentos, análise quantitativa dos resultados...
Eu só conhecia a versão em inglês do trabalho dele (o original é em alemão, nem passo perto!). Hoje, a pedido de alguns alunos encontrei uma tradução boa em português. Os links: em inglês clique aqui e em português clique aqui.

Uma curiosidade: o Mendel, ainda garoto, acreditava que um dia seria famoso pelos seus textos e poemas. Na verdade, ficou famoso por outras letras (A, a, B, b...). Um de seus poemas é quase uma premonição disso:

"Vós letras, vós tipos, frutos de minha pesquisa,
Vós sois a pedra fundamental
Créditos dessa imagem: www.softchalk.com
Sobre a qual estabelecerei e erigirei
Meu templo para todo o sempre.
Como o mestre desejou, vós dissipareis
A força obscura da superstição
Que hoje oprime o mundo.
Os trabalhos dos maiores dentre os homens,
Que agora, de uso para alguns, apenas,
Desintegram-se no nada,
À luz trarei e preservareis
Pois em muitas cabeças, imersas ainda
Na dormência, vossa força despertará
As grandes, as claras forças da mente.
Em suma, vossa chegada não poderá deixar
De criar uma vida nova, uma vida melhor.
Possa a força do destino conceder-me
O supremo êstase da alegria terrena,
A meta máxima do êxtase terreno,
Que é o de ver, quando da tumba me erguer,
Minha arte florescendo em paz,
Entre os que vierem depois de mim."
(Tradução do poema escrito por Mendel
quando era ainda um escolar)
in BAKER & ALLEN (Estudo da Biologia)

Texto: Ramon Lamar de Oliveira Junior

Um comentário:

  1. Ramon,

    Vc. é um produtor(no bom sentido e aproveitando a expô7) e fonte de conhecimento sem limite. Tem assunto pra caramba, não dá para acompanhar seu blog.
    Escreve mais do que a nossa capacidade de ler, ou ver. Fica aqui um pedido nosso: Vê se contamina o Stefanno para ele escrever mais tá?

    Chicão

    ResponderExcluir

Clique em "Participar deste site" e siga o blog para sempre receber informações sobre atualizações. O seu comentário será publicado após ser lido pelo administrador do blog.