As opiniões emitidas neste blog, salvo aquelas que correspondem a citações, são de responsabilidade do autor do blog, em nada refletindo a opinião de instituições a que o autor do blog eventualmente pertença. Nossos links são verificados permanentemente e são considerados isentos de vírus. As imagens deste blog podem ser usadas livremente, desde que a fonte seja citada: http://ramonlamar.blogspot.com

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Sem restaurantes nos pontos turísticos e agora sem o CAT

CAT/JK é fechado por falta de estrutura
Celso Martinelli (Jornal Sete Dias - clique AQUI)

A estrutura precária em que se encontra o Centro de Apoio ao Turista (CAT-JK), no centro da cidade, ficou evidenciada com a chegada das chuvas. Os diversos vazamentos provocam alagamento do local, assim como o excessivo acúmulo de água sobre o teto. A situação traz um risco de curto circuito com o encharcamento do sistema elétrico. Quando chove, os funcionários passam o tempo todo retirando água do imóvel e promovendo mudanças de lugar do artesanato lá exposto, a fim de evitar sua destruição.

Crédito da foto: Jornal Sete Dias
Na chuva que caiu na manhã de quarta-feira, a reportagem flagrou a situação do local que, teoricamente, é destinado como principal ponto de apoio público ao turista. No teto, as bases de sustentação das lâmpadas estão enferrujadas, havia muita água escorrendo e o chão estava totalmente inundado. As escadas que dão acesso ao banheiro do CAT transformaram-se em uma espécie de cachoeira para retirada do excesso. As funcionárias espalhavam baldes pelo local e tentavam fechar as portas com dificuldade, já que o abatimento do teto pode ter empenado as mesmas.
O presidente da autarquia Sete Lagoas Lazer e Turismo (Seltur), Magela Martins, afirmou que já foi solicitada mão de obra junto ao município para intervenções paliativas. Sem previsão de obras no momento, a decisão foi de fechar o local até a estiagem, para que sejam executadas medidas emergenciais. “O CAT vai passar por uma reforma completa. O imóvel foi mal projetado, não há escoamento da água que acumula no telhado. De imediato, vamos procurar impermeabilizar o teto, já que mudanças físicas na estrutura terão que ser feitas posteriormente. Temos recursos próprios para as obras necessárias”, explicou.

COMENTÁRIO: Está ficando difícil, ou quase impossível, defender a tese de que Sete Lagoas tem potencial para ser uma cidade turística. Enquanto se sonha com teleféricos, os pontos turísticos estão abandonados. Enquanto não passarmos do mundo dos sonhos para o mundo da ação... sem chance.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Clique em "Participar deste site" e siga o blog para sempre receber informações sobre atualizações. O seu comentário será publicado após ser lido pelo administrador do blog.