As opiniões emitidas neste blog, salvo aquelas que correspondem a citações, são de responsabilidade do autor do blog, em nada refletindo a opinião de instituições a que o autor do blog eventualmente pertença. Nossos links são verificados permanentemente e são considerados isentos de vírus. As imagens deste blog podem ser usadas livremente, desde que a fonte seja citada: http://ramonlamar.blogspot.com

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Mais problemas em Fukushima

A Folha de S.Paulo publicou a seguinte matéria que pode ser acessada clicando AQUI.
Detectado novo vazamento de água radioativa na usina de Fukushima
DA EFE

A operadora da usina nuclear de Fukushima, Tepco (Tokyo Electric Power), detectou um vazamento de cerca de 45 toneladas de água contaminada com estrôncio radioativo, material que pode ter saído da unidade, informou nesta segunda-feira a rede NHK.
Segundo a Tepco, o vazamento foi detectado no domingo em um dispositivo de reciclagem para eliminar o sal da água radioativa que se acumula na usina. Após a falha ser detectada, o sistema foi interrompido, mas 45 toneladas de água já haviam escapado.
Acredita-se que o líquido contaminado tenha cerca de 130 mil becquerels de estrôncio radioativo por centímetro cúbico.
A Tepco montou uma barreira com sacos de areia para evitar que o vazamento atingisse o mar, segundo informou a NHK.
Desde o início da crise nuclear em Fukushima, no dia 11 de março, as autoridades japonesas realizam análises periódicas para investigar o impacto do acidente na vida marinha perto da central, já que se estima que entre 21 de março e 30 de abril a unidade pode ter deixado vazar para o mar cerca de 15 mil terabecquerels de césio e iodo radioativo.
A Tepco mantém na central um duplo sistema de descontaminação de água radioativa, que se acumula nos seus porões e que depois é utilizada para esfriar os reatores.
Segundo a operadora, o vazamento detectado não afetará os trabalhos de reciclagem nem o processo de resfriamento dos reatores. 
COMENTÁRIO: Como quase sempre acontece, os jornais tendem a misturar as unidades em que os parâmetros são medidos. No caso, fala-se em 130 mil becquerels por centímetro cúbico (sendo que vazaram 45 toneladas de água) e depois em 15 mil terabecquerels. Não seria possível fornecer tudo na mesma unidade? Num cálculo rápido chega-se a 5,85 terabecquerels no novo vazamento citado, bem menos do que os 15 mil terabecquerels que haviam vazado antes. Outro site (clique AQUI) informa que a contaminação da água por estrôncio vai a um milhão de vezes acima dos níveis permitidos. Também é informado que a radioatividade na superfície do tanque foi de 110 milisievert por hora. De acordo com a Tepco a contaminação é "moderada".
O estrôncio-90 é um isótopo radioativo muito perigoso. Por ser elemento químico da mesma família do cálcio, o estrôncio pode ser absorvido pelo organismo e acumular-se no tecido ósseo irradiando a medula óssea e provocando leucemia.

3 comentários:

  1. Eu também já estava estranhando o fato de Fukushima não apresentar nenhum outro vazamento secundário. Com uma catástrofe do tamanho que foi e ainda com outros tremores de terra futuros, era mais que esperado.Uma vez que a região é sujeita a isso. Uma estrutura já abalada tende a aumentar as possibilidades de vazamento.Ainda tem mais coisa por lá!O governo nipônico em nada é diferente dos governos ocidentais.Ou seja, da mesma maneira que construíram tais usinas de forma irregular , a tendência é não divulgação das consequências disso! Quanto as unidades de medidas, poderia se esperar algo diferente da imprensa?

    ResponderExcluir
  2. Por ser da família do cálcio, o estrôncio compete com mesmo por sítios ativos de diversas enzimas. É extremamente tóxico por isso.
    Considerando a magnificação trófica, 2012 realmente será "o fim do mundo" para cardumes e mais cardumes.
    Estou de saco cheio dessa compulsão pelo crescimento! As únicas consequências consideradas são as econômicas. Eita humanidade...

    ResponderExcluir
  3. Pois é. 2012, o começo do fim!
    Realmente o discurso de quase todo o mundo é o CRESCIMENTO ECONÔMICO, mas os melhores índices de saúde, educação e qualidade de vida estão em países que não parecem se preocupar tanto com isso como Noruega, Islândia e Canadá.

    ResponderExcluir

Clique em "Participar deste site" e siga o blog para sempre receber informações sobre atualizações. O seu comentário será publicado após ser lido pelo administrador do blog.