As opiniões emitidas neste blog, salvo aquelas que correspondem a citações, são de responsabilidade do autor do blog, em nada refletindo a opinião de instituições a que o autor do blog eventualmente pertença. Nossos links são verificados permanentemente e são considerados isentos de vírus. As imagens deste blog podem ser usadas livremente, desde que a fonte seja citada: http://ramonlamar.blogspot.com

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Fukushima: tentativas desesperadas

Japão vai injetar nitrogênio para evitar explosão em reator


Esse é o título da matéria na Folha de S.Paulo online (clique aqui para ler a íntegra).
A matéria não deixa o assunto muito claro. O nitrogênio seria lançado por ser inerte e evitar a reação do hidrogênio com o oxigênio (que provoca a explosão)? Ou seria usado para resfriar o reator (aí deveria ser usado nitrogênio líquido)?
A matéria fala as duas coisas ("reduzir o risco potencial de uma explosão de hidrogênio" e "capacidade de resfriar rapidamente").
Acho muito perigoso que se lance nitrogênio líquido no sistema. A uma temperatura muito baixa (-196 graus Celsius), o nitrogênio líquido teria um efeito resfriante imediato, sem dúvida, mas os efeitos do rápido resfriamento sobre estruturas fortemente aquecidas são perigosíssimos, incluindo a possibilidade de fraturas nos materiais. Como redutor do risco de explosão (diluindo o hidrogênio e o oxigênio), é bem mais viável!

Observação 1: O lançamento de 11.500 toneladas (11.500.000 de litros) de água contaminada no oceano é outra questão complicada. Os isótopos radioativos se espalham, diluem... mas são absorvidos e concentrados pelos seres vivos que, por exemplo, absorvem o iodo radioativo. E tome cadeia alimentar e a radioatividade retorna ao homem... como um bumerangue mal calculado: sai da mão e acerta na cabeça. Os países vizinhos como a China e a Coreia do Sul já estão em polvorosa. Calcule só a Coreia do Norte!

Observação 2: Os dados divulgados no site www.jaif.or.jp/english/ (nos indicado pelo Claret), atualizados diariamente (mais de uma vez) mostram uma situação curiosa que pode enganar quem lê os dados rapidamente (ou seja, lê só os números). Vejam o exemplo abaixo do relatório sobre os reatores (Reactor Status) de número 69:
Radiation level: 0.70mSv/h at the south side of the office building, 47μSv/h at the West gate, as of 21:00, Apr. 6th, 108μSv/h at the Main gate, as of 10:00, Apr. 6th.
Perceba a mudança de unidades: 0.70mSv/h e 47μSv/h. Foram de mili para micro na mesma linha! Na mesma unidade seria 700 μSv/h e 47 μSv/h. Sei não... parece propaganda enganosa...

Ramon Lamar de Oliveira Junior

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Clique em "Participar deste site" e siga o blog para sempre receber informações sobre atualizações. O seu comentário será publicado após ser lido pelo administrador do blog.