As opiniões emitidas neste blog, salvo aquelas que correspondem a citações, são de responsabilidade do autor do blog, em nada refletindo a opinião de instituições a que o autor do blog eventualmente pertença. Nossos links são verificados permanentemente e são considerados isentos de vírus. As imagens deste blog podem ser usadas livremente, desde que a fonte seja citada: http://ramonlamar.blogspot.com

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Mangue no litoral da Bahia

Seguem algumas imagens do mangue no litoral da Bahia. A espécie vegetal predominante é a Rhizophora mangle, também conhecida como mangue-vermelho. A R. mangle tem amplas raízes aéreas do tipo "raízes escoras". Algumas vezes também são observadas raízes respiratórias (pneumatóforos). O solo do manguezal não é muito firme e nem um pouco oxigenado, o que explica os dois tipos de raízes. A combinação de água salgada e água doce limita bastante a sobrevivência de organismos nesse tipo de solo, só aqueles que conseguem ter um balanço hídrico para ambas as situações conseguem ter sucesso. O mangue é usado como refúgio para diversas espécies animais, com notável presença dos caranguejos do mangue, de diversas cores: aratus-vermelhos, guaiamuns e outros crustáceos perambulam pelo mangue de forma lenta e desconfiada. Moluscos, peixes e aves também têm ali o seu santuário de reprodução. 

Rhizophora mangle e suas raízes escoras. Abaixo, as raízes respiratórias ou pneumatóforos.
 
Caranguejo junto a embrião recém germinado da Rhizophora mangle. Devido às condições do solo, a semente germina ainda no corpo da planta-mãe. Por analogia com os mamíferos, tal situação é chamada de viviparidade. Depois o embrião germinado cai e procura se fixar ao solo. É bastante comum encontrar esses embriões nas praias próximas aos manguezais.
A preservação dos mangues é muito importante para a sobrevivência de um grande número de espécies e para a manutenção da cadeia alimentar da qual - não se esqueçam - fazemos parte. Contudo, pela sua localização junto à foz dos rios, têm sido alvos de intensa devastação e especulação imobiliária. Não é incomum encontrarmos regiões de mangue que são soterradas e transformadas em lotes para condomínios.

Ramon Lamar de Oliveira Junior

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Clique em "Participar deste site" e siga o blog para sempre receber informações sobre atualizações. O seu comentário será publicado após ser lido pelo administrador do blog.