As opiniões emitidas neste blog, salvo aquelas que correspondem a citações, são de responsabilidade do autor do blog, em nada refletindo a opinião de instituições a que o autor do blog eventualmente pertença. Nossos links são verificados permanentemente e são considerados isentos de vírus. As imagens deste blog podem ser usadas livremente, desde que a fonte seja citada: http://ramonlamar.blogspot.com

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Macacos clonados: Roku e Hex

Leia a matéria completa no site do Estado de Minas clicando AQUI


Cientistas americanos apresentam primeiros 
macacos feitos a partir de células-tronco  
Estudo tem como objetivo ajudar pessoas com
doenças como diabetes e mal de Parkinson


Fonte: Estado de Minas
Nos EUA, dois simpáticos macacos foram apresentados, nesta quinta-feira, pelo Centro de Primatas da Universidade de Ciências da Saúde de Oregon (OHSU) como sendo resultado de uma junção de células-tronco de seis diferentes embriões.
Aparentemente assustados, os híbridos foram classificados pelos cientistas americanos como "quimeras", ou seja, o resultado da junção do gameta feminino com o masculino. O uso de células-tronco  tem sido estudado para tratar diversas doenças como diabetes e mal de Parkinson.

COMENTÁRIOS: Para quem duvida da possibilidade de fazer clones humanos, está aí um experimento bem complexo, dado o envolvimento da técnica e soluções "criativas", usando nossos "primos" macacos-Rhesus. Certamente reabrirá na mídia toda a discussão de clonagem humana, clonagem terapêutica, banco de órgãos... e vai por aí afora. Outro texto muito bom, com detalhes das ideias que levaram a obtenção dos macacos, pode ser lido clicando AQUI. Para ler mais detalhes, no site da Fox News (em inglês), clique AQUI. Também na Folha de S.Paulo (clique AQUI).
Um erro no pequeno texto divulgado pelo Estado de Minas é o conceito de quimera. O termo, emprestado da mitologia grega, era usado em biologia para se fazer referências a porções de material genético (plasmídios) onde eram colocados genes de espécies diferentes. Hoje, o termo é usado para situações de fusão de células de organismos diferentes (não de gametas, como sugere o texto... senão nós também seríamos quimeras). Para ler mais sobre quimeras e também sobre mosaicismos leia um pequeno artigo da Ciência Hoje clicando AQUI.

4 comentários:

Clique em "Participar deste site" e siga o blog para sempre receber informações sobre atualizações. O seu comentário será publicado após ser lido pelo administrador do blog.