As opiniões emitidas neste blog, salvo aquelas que correspondem a citações, são de responsabilidade do autor do blog, em nada refletindo a opinião de instituições a que o autor do blog eventualmente pertença. Nossos links são verificados permanentemente e são considerados isentos de vírus. As imagens deste blog podem ser usadas livremente, desde que a fonte seja citada: http://ramonlamar.blogspot.com

sábado, 2 de julho de 2011

Faixa de pedestres em Sete Lagoas

É incrível, mas a única faixa de pedestres que é respeitada na cidade é a da Monsenhor Messias (mais ou menos respeitada, uma aluna minha já foi atropelada sobre a faixa). Prova da grande falta de educação de nossos motoristas. É claro que os pedestres às vezes abusam - tem maluco que entra de uma vez na faixa, podendo provocar acidentes.

Faixa de pedestres em frente ao futuro Museu de Mineralogia, Arte e Tecnologia.
Agora há pouco, estava eu ali na praça Dom Carmelo Motta. Para atravessar na faixa, em frente ao futuro Museu de Mineralogia, Arte e Tecnologia (notícia boa essa, não?), foi um custo. Uns 12 carros passaram. Nenhum se dignou, ao menos, a diminuir a velocidade. Com o tal do insulfilm ficou mais fácil ainda ignorar os pedestres. É o famoso "nem te ligo". E olha que ali tem rebaixamento da calçada e tudo mais para a travessia até dos cadeirantes.
Difícil, né? Parece que é só multando mesmo: "A indústria da multa" X "a indústria de infrações".

Foto e texto: Ramon Lamar de Oliveira Junior

Um comentário:

  1. Faixa de pedestres essa, que foi doada para a rua, por uma empresa no final de ano, como se fosse presente de Natal. Nunca aceitei nada para mim, então devido ao atropelamento pedi uma super faixa, que é a única com contorno em vermelho e tinta importada na cidade, por isso está durando mais, apesar dos dois retoques, com tintas inferiores, que já fizeram nela.
    Mas, os dois lados estão totalmente errados, pois a lei prevê uma maior conscientização dos pedestres e motoristas que devem ser feitas com o próprio valor arrecadado pelas multas que á a Campanha de Educação de Trânsito, que na minha época de estudante no Grupo Ulisses Vasconcelos era feita em toda a população infantil através de palestras e filmes projetados no Rivello.
    Agora, não temos mais educação e nem o Cinema que está entregue às moscas como o nosso Transito.

    ResponderExcluir

Clique em "Participar deste site" e siga o blog para sempre receber informações sobre atualizações. O seu comentário será publicado após ser lido pelo administrador do blog.