As opiniões emitidas neste blog, salvo aquelas que correspondem a citações, são de responsabilidade do autor do blog, em nada refletindo a opinião de instituições a que o autor do blog eventualmente pertença. Nossos links são verificados permanentemente e são considerados isentos de vírus. As imagens deste blog podem ser usadas livremente, desde que a fonte seja citada: http://ramonlamar.blogspot.com

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Pau-ferro ameaçado pelos fungos

Já escrevi aqui no blog mais de uma vez sobre esse tipo de árvore. Numa das postagens (uma das primeiras do blog), solicitei a supressão de um pau-ferro da Praça Tiradentes, tomado por brocas e fungos (orelha-de-pau), que poderia cair a qualquer momento num local muito ocupado por escolares e por alguns eventos (clique AQUI). Em outra ocasião comentei sobre essas mesmas árvores na Av. Villa Lobos (veja o comentário do post clicando AQUI).
Particularmente, gosto muito dessa árvore. Repito aqui o texto já colocado no comentário citado acima:
"O pau-ferro é muito visado para o paisagismo por suas características ornamentais e de sombreamento. Apesar do porte, não possui raízes agressivas, o que é um fator importante de eleição para arborização urbana. Deve-se evitar, no entanto, o plantio em calçadas, sob fiação elétrica, e em locais de transito intenso de pessoas e carros, pois os ramos tendem a quebrar e cair em tempestades, oferecendo perigo. Como o próprio nome já diz, o pau-ferro possui madeira dura, densa, durável e resistente, de excelente qualidade para a fabricação de violões e violinos, e para construção civil, na construção de vigas, esteios, caibros, etc. Seu crescimento é rápido, principalmente nos primeiros anos. Em recuperação de áreas degradadas, o pau-ferro também é uma excelente escolha, por crescer bem em áreas abertas." (Fonte: http://www.jardineiro.net/br/banco/caesalpinia_ferrea.php)
Apesar de considerá-la uma árvore interessante para o uso urbano, especialmente em praças e canteiros centrais, sou forçado a concordar que isso só funciona bem se as árvores forem adequadamente tratadas. Raízes fracas e podas mal-feitas (como já referido AQUI e AQUI) são causas importantíssimas para a queda dessas árvores e, sinto informar, quase todos os paus-ferro de Sete Lagoas padecem desse mal. Mais do que uma avaliação anual ou bianual, já seria a hora de substituí-las por espécies mais adequadas. 
Caule comprometido pelas podas...
Lembro que, na primeira vez que participei do CODEMA, fizemos uma inspeção num pau-ferro do Jardim do Comércio. Lá se vão mais de dez anos. Fizemos algumas recomendações mas não propusemos a supressão da árvore. As recomendações não foram seguidas a contento e hoje minha opinião já é outra. Árvores mudam, envelhecem. Agora, vendo a dificuldade de se trabalhar preventivamente em árvores de tal porte, já sou favorável à substituição.
O motivo deste post está aí ao lado e abaixo: um pau-ferro da Av. Villa Lobos, quase esquina com a Rua Eng. José França, com fungos brotando do solo, provavelmente de suas raízes. Além disso o caule mostra os sinais das podas mal-feitas que provocaram o apodrecimento irrecuperável de partes dele. No ano passado foram feitas podas preventivas, porém praticamente todas levaram a lesões com risco de apodrecimento do caule. Não vejo outra saída. Se minha opinião vale alguma coisa, voto pela supressão e SUBSTITUIÇÃO de tais árvores por outras mais adequadas: magnólias ou quaresmeiras.
A situação dessa árvore foi informada à Secretaria Municipal de Meio Ambiente que certamente fará uma inspeção e dará a solução adequada ao assunto.

... e fungos comprometendo as raízes. Ameaça de queda.
Fotos e texto: Ramon Lamar de Oliveira Junior

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Clique em "Participar deste site" e siga o blog para sempre receber informações sobre atualizações. O seu comentário será publicado após ser lido pelo administrador do blog.