As imagens deste blog podem ser usadas livremente, desde que a fonte seja citada: http://ramonlamar.blogspot.com

sábado, 19 de outubro de 2013

MATÉRIAS DA REVISTA PESQUISA FAPESP QUE PODEM CAIR NA PROVA DO ENEM

São os assuntos mais relevantes, em termos de conhecimentos que podem ser cobrados na prova do ENEM, publicados pela REVISTA PESQUISA FAPESP em 2012. Clique nos links para acessar a página de cada edição.

Toxicidade reforçada: Uso de crack mata mais neurônios do que cocaína.
Rastros da miscigenação: Vírus humano reflete as migrações ocorridas entre distintas etnias no Pará.
O perfume da Amazônia: Aproveitamento de folhas e galhos amplia em 25% a produção de óleo de pau-rosa.
Gesso resistente: Novos blocos feitos com resíduos da produção de fertilizantes são opção barata para construir casas.

Câncer enfraquecido: Aprisionar o cálcio em compartimento no núcleo das células torna o tumor mais vulnerável à radioterapia.
Proteína antitumoral: Encontrada na glândula salivar do carrapato-estrela, molécula combate células cancerígenas e preserva sadias.
Tensão sob controle: Técnica que estabiliza pressão na interface entre óleo e água pode facilitar a extração de petróleo.
Remédio em nanoescala: Biolab usa nanotecnologia em anestésico e no tratamento de calvície.

Diversidade organizada: Núcleo lança base de dados sobre compostos químicos com potencial para gerar fármacos.
Parasita pronto para o ataque: Vesículas com proteínas ajudam Trypanosoma cruzi a invadir células hospedeiras.
Aids ainda longe do controle: Taxas elevadas de infecção persistem entre homossexuais e expõem lacunas das estratégias de prevenção.
Evolução escrita nos cipós: Botânicos usam trepadeiras para compreender a origem de florestas brasileiras.
Ilha de calor na Amazônia: Área urbana de Manaus é 3ºC mais quente do que a floresta.
Entre açúcares e genes: Aplicação do conhecimento científico da cana deverá servir ao desenvolvimento de novas ferramentas para a produção de etanol.
Em busca de novas rotas químicas: Oxiteno lança produtos à base de óleo de palma, de soja e de cana em substituição a petroquímicos.
Bactérias mineradoras: USP e Vale desenvolvem pesquisa para descobrir microrganismos capazes de recuperar cobre em rejeitos minerais.
Mandioca vitaminada: Tubérculo e feijão mais nutritivos estão disponíveis para a alimentação dos brasileiros.
Atualidade da Grécia Antiga: Estudo de textos de Aristóteles e Platão revela origens de conceitos científicos contemporâneos.

Luta contra o sol: Pesquisadores, médicos e moradores de um povoado se mobilizam para controlar uma doença hereditária agravada pela exposição à luz do dia.
Da saciedade e outros prazeres: Células na base do cérebro controlam a fome e acionam os mecanismos neurais da recompensa.
As rotas das suçuaranas: Felinos conseguem se movimentar em zonas de ocupação humana, mas encontram obstáculos nas estradas.
A vida protegida por armaduras: Norte do Paraguai pode abrigar a maior diversidade de fósseis dos primeiros animais com esqueleto.
Canavial mais limpo: Emissões do pior gás causador do efeito estufa pela cana-de-açúcar são menores do que se estimava.
O valor das impurezas: Brasileiros descobrem nova família de materiais capazes de conduzir eletricidade sem perda de energia.
A transformação dos insetos: Um mosquito transgênico e outro irradiado são as novas armas contra a dengue.
A vez das baterias: Equipamento à base de lítio desenvolvido em São Paulo começa a impulsionar caminhonetes.
Iluminação flexível: Novos tipos de lâmpadas e células fotovoltaicas orgânicas são desenvolvidos por centro de pesquisa mineiro.

O cardápio dos próximos anos: Especialistas preveem queda na produção e emergência de novas doenças e pragas em consequência das mudanças do clima.

A flexibilidade sexual das fêmeas: Entre lagartos, nem sempre o macho é necessário para a reprodução.
Tratamento em dobro: Uso combinado de células-tronco e fator de crescimento reduz sintomas da distrofia muscular em camundongos.
Fertilizante marinho: Uso de algas calcárias como adubo em lavouras de cana pode elevar a produtividade em até 50%.
Proteção vegetal: Biofilmes produzidos com mandioca, banana e quinoa protegem e garantem longa vida a vários alimentos.
Além dos derivados de petróleo: Braskem amplia mercados com polímero feito a partir de etanol e investe em rotas biotecnológicas.

Laser sobre os nanotubos: Professor da UFMG recebe prêmio internacional por contribuição em nanociência.
As rochas vivas de Abrolhos: Costa do Espírito Santo e da Bahia abriga o maior banco de algas calcárias do mundo.
O exterminador de anfíbios: Tráfico pode espalhar fungo letal para sapos, rãs e pererecas.
Remédio e veneno: Composto usado para tratar câncer danifica células do coração.
Plástico de açaí: Semente de fruta tropical é matéria-prima para substituir ossos do crânio.
Resíduos bem-vindos: Subproduto do biodiesel pode ser usado para suprimir poeira de vagões de minério.

Da garoa à tempestade: Temporais se tornam mais frequentes e chuva aumenta 30% em São Paulo em 80 anos.
Inseto contra inseto: Empresa multiplica vespas que atuam no controle biológico e é escolhida uma das 50 mais inovadoras do mundo.

Estratégias sertanejas: Único mamífero instalado nas dunas do rio São Francisco, rabo-de-facho se agrupa para viver.
Comunicação interrompida: Bloqueio de sinal químico emitido pela versão saudável do príon pode originar terapia contra Alzheimer e tumor cerebral.
O enigma da pluripotência: Especialistas falam das dificuldades de controlar o processo de diferenciação das células-tronco embrionárias humanas.
Brilho reparador: Pinos odontológicos com nanopartículas emitem luz e facilitam a recuperação do dente.

Minúsculos, mas de peso: Organismos invisíveis a olho nu demonstram capacidade de resistir a viagens interplanetárias
A cor da pele escrita no DNA: Testes permitem descobrir características raciais sem a presença das pessoas.
A equação do clima: Estudo avalia o impacto real de vegetações nativas e cultivadas das Américas sobre a temperatura global.
Opção produtiva: Sorgo é plantado para produzir etanol na entressafra de cana.
Levedura luminescente: Pesquisadores utilizam microrganismo para detectar hormônio em rios.
Brancura total: Pequena empresa desenvolve enzima para alvejar a celulose sem dano ambiental.

Biorrefinarias do futuro: Estudos revelam previsões sobre a participação do etanol na agricultura e na matriz de combustíveis.
Indesejáveis, mas nem sempre: Debate sobre definição e controle de plantas e animas exóticos esquenta em São Paulo.
Os mamíferos da discórdia: Estudo contesta visão de que a maioria das espécies típicas do cerrado e da caatinga se originou nas florestas.
A primeira fratura: Movimentação de Gondwana quase transformou o Nordeste brasileiro em parte da África.
Altíssima qualidade: Argila sintética elimina resíduos no processamento de nanotubos de carbono.
Diagnóstico fácil: Equipamento testa no sangue, em poucos minutos, microrganismos ligados a 20 doenças.
A carne da floresta: Colombianos criam gado entre árvores e inspiram brasileiros.
Brasil em transição demográfica: Segundo pesquisa, fecundidade nacional cai cada vez mais e se concentra entre os adolescentes.

Quando o timo não vai bem: Cópia extra de gene prejudica o amadurecimento das células de defesa na síndrome de Down.
Uma planta enganadora: Estudo questiona a origem de árvore do grupo dos pinheiros.
A arquitetura dos tecidos: Conexões com vizinhos ajudam a definir a função das células no organismo.
Mimetismo ósseo: Membranas com celulose e vidros estimulam a regeneração celular.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Clique em "Participar deste site" e siga o blog para sempre receber informações sobre atualizações. O seu comentário será publicado após ser lido pelo administrador do blog.