As imagens deste blog podem ser usadas livremente, desde que a fonte seja citada: http://ramonlamar.blogspot.com

quarta-feira, 29 de julho de 2015

Para os motociclistas

Anteontem (27/07) foi comemorado o Dia Nacional do Motociclista, mas infelizmente nem tudo é motivo para celebração. No período de uma  década, o número de motocicletas subiu 247%, contra 11,3% de aumento populacional. Nesse mesmo período, o custo das internações hospitalares decorrentes de acidentes com motos aumentou 128,5%, e, em 2013, alcançou o valor de R$ 112 milhões. E na metade deste período, o número de internações de motociclistas acidentados aumentou 113% e, atualmente, cerca de 28% das mortes de acidentes de trânsito são de pessoas que estavam em motocicletas.
Infelizmente a direção responsável e segura não faz parte da vida de todos os motoristas. A motocicleta é um tipo de veículo que deixa vulnerável seu condutor, principalmente pela exposição do corpo. Essa vulnerabilidade faz com que seja necessária atenção redobrada, respeito às regras de trânsito e uso obrigatório dos equipamentos de segurança. 
Lembrando que no trânsito todas as pessoas querem chegar ao seu destino em segurança. Alguns simples cuidados que podem ajudar bastante no trânsito são: 
  1. Use seu capacete sempre afivelado, com adesivo refletivo e certificado pelo INMETRO;
  2. Os capacetes têm tamanhos diferentes: é necessário usar o tamanho certo, que depende da circunferência da cabeça. Experimente antes de comprá-lo e prefira os de cor clara, pois dão melhor visibilidade e segurança; 
  3. No Brasil todos os capacetes necessitam de certificação do INMETRO. Se não tiver o selo do INMETRO, não compre! Os capacetes certificados têm recomendação de uso por três anos e no caso de observar sinais de danos antes desse tempo, descarte-o e adquira um novo capacete;
  4. Conduza sua moto sempre de maneira defensiva, procurando antecipar os movimentos de pedestres e veículos. O excesso de autoconfiança pode levar a um acidente;
  5. Se for beber não pilote e se for pilotar, não beba;
  6. Antes de sair, revise itens básicos como freios, pneus, corrente, faróis e lanternas;
  7. Redobre sua atenção ao trafegar na chuva, em pisos molhados, com areia ou óleo. Muita atenção a buracos e irregularidades no pavimento;
  8. Mantenha sua documentação e a da motocicleta sempre em dia;
  9. Use roupas resistentes e claras, que facilitam a visualização especialmente à noite;
  10. As calças devem ter boca estreita para evitar que se prendam na corrente da moto. Jaquetas com zíper e punhos justos facilitam os movimentos;
  11. O uso de luvas sem forro permite maior aderência das mãos nos comandos, sem perder a sensibilidade e garantindo a proteção;
  12. Utilize calçados fechados e resistentes, preferencialmente botas, com salto baixo e sola de borracha, sem acessórios que possam se prender nos pedais e correntes;
  13. Não trafegue carregando bandeiras ou faixas que possam se prender nos pedais e correntes;
  14. Procure sempre ocupar o seu espaço com atenção plena e consciência, mantendo-se atento ao movimento de todas as outras pessoas: motoristas, pedestres e ciclistas;
  15. Mantenha o farol da sua motocicleta sempre aceso, mesmo durante o dia, para ser visível aos motoristas, pedestres e outros motociclistas;
  16. Quando for mudar de faixa sinalize sempre com antecedência sua intenção;
  17. Mantenha uma distância segura em relação ao veículo da frente, tenha prudência ao fazer ultrapassagens e não trafegue pela calçada, acostamentos ou por locais utilizados por pedestres;
  18. Mantenha-se fora dos ‘pontos cegos’. Ao ultrapassar um veículo, passe pelo ponto cego o mais rápido possível;
  19. Utilize antena de proteção contra linhas de pipa com cerol;
  20. Bom senso é fundamental. Não use a moto de forma irresponsável dando empinadas, apostando corridas ou realizando manobras inseguras. Respeite as leis de trânsito.
Lembre-se que as leis de trânsito foram feitas para proteger as pessoas e nossas ações causam reações. Muitas vezes algum descuidado que pode parecer simples traz como consequência sofrimento para nós e para os outros. Comece dando o exemplo: cuide e dê preferência às pessoas que no trânsito estão mais vulneráveis, como pedestres, ciclistas e demais veículos não motorizados.
Independente da moto ser um veículo facilitador do transporte, fazer parte do trabalho ou ser usada apenas para a diversão, é fundamental proteger-se e usar sempre o capacete.

Modificado a partir de informações da Prefeitura de Sete Lagoas e do Ministério da Saúde

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Clique em "Participar deste site" e siga o blog para sempre receber informações sobre atualizações. O seu comentário será publicado após ser lido pelo administrador do blog.