As opiniões emitidas neste blog, salvo aquelas que correspondem a citações, são de responsabilidade do autor do blog, em nada refletindo a opinião de instituições a que o autor do blog eventualmente pertença. Nossos links são verificados permanentemente e são considerados isentos de vírus. As imagens deste blog podem ser usadas livremente, desde que a fonte seja citada: http://ramonlamar.blogspot.com

domingo, 1 de abril de 2012

Macacos-prego perseguem baderneiros no Parque da Cascata

Um bando de macacos-prego (Macaccus marteles ferris) perseguiu e cercou 3 rapazes e 3 moças que ouviam "música" em fartos decibéis no interior da mata do Parque da Cascata, na bucólica cidade de Sete Lagoas, MG. De acordo com algumas pessoas presentes no parque, os jovens estavam fazendo uma verdadeira algazarra - inclusive arrancaram uma lixeira e atiraram ao lago - e perturbando o sossego de todos. "Os macacos não conseguiram manter os bons modos e apelaram, partindo para a agressão", disse uma senhora que preferiu não se identificar.
Um dos rapazes do grupo, bastante agitado, relatou o acontecido para os fiscais do parque. De acordo com ele, a "galera" estava apenas "curtindo um sonzinho, de boa" num trecho da trilha quando tudo aconteceu. Alguns micos começaram a aparecer, olhavam e saiam rapidamente entre os galhos. Depois voltavam, observavam mais um pouco e saiam novamente. A "galera" achou tudo engraçado e pensou (?) que os micos estavam gostando das músicas. Depois de literalmente executar várias músicas, o grupo resolveu tocar o hit "Ai se eu te pego..." do Michel Teló. 
Foi a gota d'água. Saíram os micos e logo chegaram os macacos-prego já descendo das árvores e mostrando os dentes para a turma. O desespero foi total porque não havia para onde fugir, o grupo estava completamente cercado. O rapaz conta que a iniciativa de fuga foi dele. "Segurei a mão da minha mina, fechei os olhos e saí correndo trombando na macacada, a mina pirou!", contou o jovem. Ainda segundo ele, os outros da turma seguiram-no naquela correria. O rapaz que saiu por último tentou levar o aparelho de som, mas os macacos o impediram. Antes de conseguir escapar, o rapaz ainda viu um grande macaco, provavelmente o lider do bando, com um enorme martelo e pregos na mão começando destruir o aparelho. O rapaz só teve tempo de gritar "Primo, num faz isso...", mas era tarde e o som foi destruído.
Possível membro do bando de macacos-prego.
Os jovens estão indignados com a falta de segurança do parque e com a presença das feras agressivas. Uma das moças registrou queixa contra um dos macacos que teria feito gestos obscenos e mostrado ostensivamente suas partes íntimas. Os policiais que registraram a ocorrência pensam em enquadrar os macacos-prego e os micos (possíveis olheiros do bando) na legislação referente à formação de quadrilha. Um senhor, que se identificou apenas como Eponildo, que passava pelo local aproveitou para dar sua explicação: "É por isso que precisamos acabar com a pouca vergonha que reina nessas matas e dar fim a estas espécies nocivas". Não ficou claro se o senhor Eponildo se referia aos macacos quando falou em "espécies nocivas".
Algumas pessoas que estavam presentes no Parque da Cascata e presenciaram o desfecho da história, comentavam o fato de que, no ano passado, uma capivara ter atacado pessoas na orla da Lagoa da Boa Vista: "Será que a natureza está endoidando?", era o grande questionamento. O episódio da capivara na Lagoa da Boa Vista foi amplamente noticiado neste blog (clique AQUI).

Ramon Lamar de Oliveira Junior

2 comentários:

Clique em "Participar deste site" e siga o blog para sempre receber informações sobre atualizações. O seu comentário será publicado após ser lido pelo administrador do blog.